E xames toxicológicos têm diagnosticado o uso excessivo de medicamentos e drogas por motoristas de caminhões, carretas e ônibus. De ...

Mais de três mil motoristas tiveram as carteiras de habilitação suspensas devido ao uso de drogas ou anfetaminas



Exames toxicológicos têm diagnosticado o uso excessivo de medicamentos e drogas por motoristas de caminhões, carretas e ônibus. De acordo com o Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR), em 2017, 3.278 condutores tiveram o resultado positivo para o uso de drogas ou anfetaminas.

O exame toxicológico é obrigatório desde 2016 na hora de renovar a carteira de motorista ou mudar de uma categoria para outra.

O vício de caminhoneiros em usar drogas e medicamentos para cumprir longas viagens, sem parar, é uma prática perigosa, pois pode causar acidentes.

Um motorista que pediu para não se identificar conta que usa medicamentos para não dormir enquanto dirige há 20 anos. A anfetamina faz com que ele rode pelas estrads por mais de 24 horas sem parar para descanso. Ele geralmente faz o trajeto entre o Tocantins e Paraná. No caminho toma cerca de 15 comprimidos por viagem.

“Uso rebite. Acho melhor tomar do que dormir e tombar. Amo a minha profissão, mas não dou conta se não for assim”, diz o caminhoneiro.

Reprovado no exame, o motorista fica com a categoria C, D e E suspensa por 90 dias. No entanto, pode dirigir carro ou moto nesse período se for habilitado para essas categorias.

A exigência deste teste provocou uma redução no número de renovações de carteiras de habilitação entre motoristas habilitados nas categorias C,D e E. De acordo com o Detran-PR, enquanto que em 2015 foram registradas 49.175 renovações, em 2017 foram 35.519, uma redução de 27%.
Fonte:https://g1.globo.com/pr


0 comentários: