Caminhoneiros fizeram protestos e chegaram a bloquear a Dutra na madrugada desta segunda-feira (10) no trecho do Vale do Paraíba. Seg...

Caminhoneiros fazem novos protestos. A categoria quer que a ANTT volte a multar quem não seguir a tabela.


Caminhoneiros fizeram protestos e chegaram a bloquear a Dutra na madrugada desta segunda-feira (10) no trecho do Vale do Paraíba. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), as mobilizações aconteceram em um trecho em Pindamonhangaba e em dois pontos em Jacareí.

A ação começou por volta das 0h40 na altura do km 92 da rodovia, em Pindamonhangaba, quando um grupo de caminhoneiros fechou as duas pistas.

Segundo a PRF, os caminhoneiros liberaram a rodovia no trecho cerca de uma hora depois, às 1h28, após negociação. Os manifestantes seguiram para um posto às margens da via, onde permaneceram até as 5h45.

Além da mobilização em Pinda, um grupo também fez protestos na altura dos kms 159 e 162 em Jacareí. No segundo ponto, um caminhão que tentou furar o bloqueio foi apedrejado por dez caminhoneiros por volta das 2h15. O motorista não ficou ferido na ação.

No trecho, os manifestantes deixaram a rodovia por volta das 4h, sob escolta da PRF. Segundo a polícia, os manifestantes continuam às magens da rodovia, mas não prejudicam o tráfego. A PRF informou que reforçou o efetivo na Dutra, Fernão Dias e Régis Bittencourt.

 A PRF informou que o motivo da manifestação seria contra a decisão do Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, que proibiu, na última quinta-feira, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) de multar por descumprimento da tabela do frete as transportadoras e empresas. Esse foi um dos motivos que fez os manifestantes da greve de maio deste ano de suspender a paralisação.

O Sindicato dos Caminhoneiros do Vale do Paraíba informou que não organizou ou tenha participado do ato.

Questionada sobre os protestos de hoje, a Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) informou que a categoria tem convocado assembleias, mas que ainda não há decisão sobre greve ou paralisações. A organização diz que "discorda e está indignada" com a decisão do ministro Luiz Fux.

A categoria quer que a ANTT volte a multar as transportadoras que não seguirem a tabela.

A Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) afirmou não participar dos protestos desta segunda-feira. Na sexta-feira (7), a organização divulgou nota emque se disse contrária a uma nova paralisação geral, mas que não poderia se opor à decisão dos caminhoneiros.

A PRF não informou o número de manifestantes nos protestos durante a madrugada.

Protesto em Santos

Cerca de 20 caminhoneiros se reuniram na manhã desta segunda-feira (10) em frente a entrada da Alemoa, no Porto de Santos, no litoral de São Paulo, impedindo o acesso de rodoviários aos terminais. De acordo com as autoridades portuárias, não há bloqueios no trecho.

Segundo o categoria, o protesto é contra a proibição de multas ao transportador que não seguir a tabela de fretes, medida estabelecida pelo Ministério Público e editada pelo presidente Michel Temer durante a greve dos caminhoneiros em maio.

0 comentários: